EB - Anselmo de Oliveira: Fevereiro 2009

25 de fevereiro de 2009

O Carnaval

No dia 20 de Fevereiro festejamos o Carnaval na nossa Escola.
De manhã, desfilámos pelas ruas de Paço de Arcos, parámos no Jardim para lanchar e brincar um pouco.
De tarde, realizámos um Concurso de Máscaras.
Foram premiados os alunos mais criativos.
No 1. lugar ficaram:
  • O David do 1.º ano;
  • O Rodrigo do 4.º ano.

No 2.º lugar ficou:

  • O Sérgio do 1.º ano.

No 3.º lugar ficaram:

  • O Tomás do 4.º ano;
  • A Margarida do 2.º ano.

Vejam só com estavas catitas!!

18 de fevereiro de 2009

A história que aprendemos hoje...

O 1.º ano aprendeu a letra F com a história a "Fifi e da Foca"

A Fifi e a Foca

Naquele dia, a Fifi queria apenas descansar. Sentou-se à mesa na esplada junto ao lago e tomou um café bem quentinho.
Enquanto saboreava o seu café, uma foca brincava no lago, saltando e atirando-lhe água fresquinha. Entretanto distraiu-se e entornou o café na fita do seu vestido. A fita ficou suja, mas a foca limpou-a, lançando-lhe um enorme jacto de água.
- Obrigada linda foquinha! - agradeceu Fifi.

- Anda brincar comigo no lago - pediu a foca.

A menina entrou na água e arrepiou-se com frio. A foca riu-se e afirmou:

- Vamos fazer o "f" de Fifi e de foca para te aquceres? Saltamos para fora da água, em arco. Damos uma pequena voltinha lá no cimo. Deixamo-nos cair direitnhos para dentro da água. depois nadamos até à superficíe por outro caminho. qunado chegarmos ao cimo da água, fazemos um lacinho. Percebeste?
- Entendi perfeitamente - respondeu a menina.
E assim se entretiveram o resto do dia. À noite, foram para casa fatigadas, mas muito felizes.

Depois de ouvirmos a história fomos ao quadro experimentar fazer a letra "F". Adivinhem só?!
Parecia difícil, mas afinal até é fácil!!

17 de fevereiro de 2009


O FAROL DO BUGIO
A ideia de erguer uma fortificação no areal da Cabeça Seca, frente à Fortaleza de S. Julião da Barra, remonta provavelmente ao período de construção desta, mas só em 1571 é formalmente expressa pelo arquitecto Francisco de Holanda, reconhecendo as vantagens do cruzamento de fogo de artilharia.

Nos preparativos para fazer face à esperada invasão das tropas de Felipe II de Espanha, foi montado naquele local uma fortificação em madeira com algumas peças de artilharia, que viria a render-se à Armada Castelhana, sendo depois desarmada e destruindo- se com o tempo, por não ter sido contemplada nos planos Filipinos de fortificação do porto de LISBOA.
Em 1589 ,foi convidado o célebre engenheiro italiano GIOVANNI VINCENZO CASALE para definir a solução a implementar na fortificação do Baixo da Cabeça Seca. Após várias discussões sobre a sua forma, ficou decidido que seria redonda, iniciando-se a construção em 1590 com a implantação de um perímetro de estacaria que seria cheio com pedra. CASALE faleceu em finais de 1593 quando as fundações ainda não estavam completas.

Trabalho elaborado pelos alunos do 4ºano da EBI Anselmo de Oliveira
Rodrigo Baltazar
Leandro Almeida
Patrícia Santos
Carolina Fragoso
O Brazão da nossa terra e o significado das suas cores.



De prata, com âncora vermelha, coração de ouro, dois golfinhos de negro realçados de ouro, assentes num mar ondeado de cinco faixas, três de verde e duas de prata. Coroa de prata com quatro torres.



SIMBOLOGIA
Vermelho da âncora – vitórias, guerras, força, audácia, vida.Ouro do coração – firmeza, obediência e honestidade.Verde do mar – fé, esperança.A âncora – a vida do mar. A esperança com que os heróis de Paço de Arcos se lançavam à água para salvar outras vidas.O coração de ouro – sentimento humanitário.Os golfinhos – a vida atribulada dos pescadores.O mar – a importância das praias e do mar na vida dos habitantes de Paço de Arcos.